domingo, 31 de agosto de 2014

PRISIONEIRO DE UM SEGREDO

Prisioneiro De Um Segredo

A misteriosa mansão de Fairfield voltou a ser ocupada.

Como uma sina, seu novo morador, Jared Prescott, fechava-se entre as sombrias paredes, atiçando a curiosidade dos vizinhos...
E de Rachel Permington.

Ávida por aventuras, ela obstinou-se a ter um romance com Jared o único homem que despertava seu interesse.

Flertando com o perigo, decidiu descobrir porque Jared se afastava deliberadamente de todos e, ao contrario das pessoas de bom senso, fazia questão de ser visto com desconfiança, dando margem a boatos difamatórios
Em sua ingenuidade, Rachel fez de tudo para viver uma situação arriscada que até mesmo sua fértil imaginação seria incapaz de conceber.

Um enredo intrigante... Mistério e suspense dão um toque especial a uma deliciosa história de amor.

Capítulo Um

Fairfield, Inglaterra
1850
— Rachel! — uma mulher chamou da extremidade mais afastada do pátio — Está me ouvindo, Rachel?
— Estão chamando a Senhorita — o cavalariço avisou, apertando o arreio ao redor do grande cavalo preto.
— Eu ouvi Harry — Rachel respondeu com um suspiro.
Acariciou o pescoço do elegante animal que pretendia montar às escondidas da mãe.
Era um cavalo novo e ela estava proibida de montá-lo, até que um dos cavalariços mais jovens, sob a orientação de Harry, o experimentasse.
— Se eu fosse você, responderia — aconselhou o homem.
Trabalhava para os Permington desde antes do nascimento da irmã mais velha de Rachel e não hesitava em usar um tratamento informal com as "meninas".
Rachel foi até a porta do estábulo, resignada.
— Estou aqui, Wadkins — gritou na direção do portão do pátio.
A governanta percorreu o caminho de pedras o mais depressa que lhe permitiam a idade e o peso do corpo volumoso.
Parando na frente de Rachel, pôs as mãos na cintura, parecendo zangada.
— Procurei por você em todos os cantos. Por que não avisa, quando sai de casa?
Wadkins era tão antiga na casa dos Permington quanto Harry.
Vira as filhas dos patrões nascerem e sempre se achara com direito de repreendê-las, quando necessário.
— Eu só ia dar um passeio — Rachel explicou.
— Agora não vai a parte alguma — declarou a governanta — Seu pai deseja vê-la.
— Papai? Voltou de Londres?
— Acabou de chegar. Vá falar com ele. Sua mãe e as criadas estão revirando a casa, procurando você. Francamente, menina! Desaparecer dessa maneira...
                                                                                                    BAIXAR

Um comentário: